Afinal, o que é o Controle de Infecção Hospitalar?

Aproximadamente 14% dos pacientes internados em hospitais no Brasil irão contrair e desenvolver alguma infecção relacionada à assistência em saúde. Prevenir essas infecções está em suas mãos!

Para cuidar da vida de seus pacientes, higienize as mãos.
As suas mãos podem salvar vidas! Mantenha-as sempre higienizadas! ❤

As infecções hospitalares hoje são conhecidas como Infecções Relacionadas à Assistência à Saúde (IRAS).

São adquiridas após a admissão do paciente na unidade hospitalar e se manifestam durante a internação ou após a sua alta. Também estão relacionadas aos procedimentos da assistência, seja em clínicas de diálise, hospital-dia, ambulatórios infusão de medicamentos ou instituições de longa permanência. Devido sua gravidade e aumento do tempo de internação do paciente, a IRAS resulta em grande índice de morbidade e mortalidade, tornando-se um problema de saúde pública.

A IRAS são consequências da quebra de barreira para prevenção de infecção na realização de procedimentos como, passagem de sondas, acesso venoso central, realização de cirurgia, intubação entre outros.  Mas não podemos deixar de salientar que entre as principais causas de IRAS estão: a falta de higienização das mãos, uso indiscriminado de antibióticos, quebra de protocolos assistenciais e contaminações ambientais.

Sendo assim, emergem-se ações sistemáticas para realização do controle dessas infecções compondo o PCIH – Programa de Controle de Infecções Hospitalares. Planejada e normatizada pela CCIH (Comissão de Controle de Infecções Hospitalar) e executada pelo SCIH (Serviço de Controle de Infecção hospitalar) da instituição.

Os 4 momentos para higiene das mãos para prevenir IRAS
Campanha da OMS de higiene das mãos em cinco momentos cruciais durante o atendimento a pacientes em internação hospitalar!

Você sabia?

As infecções mais frequentes em ambiente hospitalar são: Pneumonia, infecção urinária, infecção de pele, infecção do sangue (septicemia). As bactérias hospitalares costumam desenvolver infecções graves e de difícil tratamento, A resistência bacteriana adquirida pelo uso indiscriminado dos antibióticos é um grave e importante problema de saúde pública por isso guiar-se pelo antibiograma é essencial para orientar a escolha do princípio ativo.

O que causa IRAS?

  • Desequilíbrio da flora bacteriana da pele e do organismo (pelo uso de antibióticos;
  • Queda da defesa do sistema imune; 
  • Realização de procedimentos invasivos como passagem de cateter, passagem de sondas, biópsias, endoscopias ou cirurgias, por exemplo, que quebram a barreira de proteção da pele.

Controle simples e eficaz!

O PCIH reúne ações desenvolvidas deliberada e sistematicamente, com objetivo de reduzir a incidência e gravidade das IRAS. Para execução do PCIH as instituições de saúde devem constituir a CCIH, órgão de assessoria à autoridade máxima da instituição na elaboração dos programas de controle de infecções hospitalares e composto profissionais da área de saúde, de nível superior, formalmente designados e o SCIH, para execução das ações.

Dentre as medidas, a mais simples e eficaz, temos a lavagem das mãos. É a CCIH que estimula a adesão das equipes de saúde à medidas de higiene, principalmente das mãos, que são um dos principais veículos de transmissão de microrganismos, com a lavagem frequente ou com uso do álcool gel.

Além da realização de orientações para o uso correto de antibióticos, evitando o desenvolvimento de bactérias multirresistente, uma preocupação cada vez maior no Brasil e no mundo, com o uso indiscriminado de medicamentos antimicrobianos.

“Segundos salvam vidas – higienize suas mãos!”

Como nunca é demais reforçar, veja um vídeo muito didático produzido pela equipe do site Tua Saúde, com o oncologista e divulgador de ciência Dr. Dráuzio Varella.

“O que mais eu posso fazer para prevenir a propagação de IRAS?”

Pijama cirúrgico personalizado Empório Materno
Pijama cirúrgico completo e personalizado você encontra na Empório Materno!

Além de seguir os programas de prevenção às IRAS em seu local de trabalho, lembre-se sempre de: 

  • Ter pelo menos quatro pijamas cirúrgicos e jalecos – um em uso, um de reserva na bolsa/mochila (para eventualidades), um lavando e outro já limpo e pronto para o uso no guarda-roupas ou armário. Assim, você faz o revezamento adequado entre um plantão e outro e economiza tempo na lavagem e higienização de seu querido e inseparável uniforme de trabalho!

Fontes consultadas:

www.tuasaude.com

Associação Brasileira de Profissionais em Controle de Infecções e Epidemiologia Hospitalar – https://abih.net.br/

https://portalhospitaisbrasil.com.br/

www.anvisa.gov.br/servicosaude/manuais/iras

portalhospitalbrasil.com.br

As infecções hospitalares e sua relação com o desenvolvimento da assistência hospitalar: reflexões para análise de suas práticas atuais de controle :
https://www.gov.br/anvisa/pt-br/centraisdeconteudo/publicacoes/servicosdesaude/publicacoes/pnpciras_2021_2025.pdf


Olá! Eu sou a Raquel Nantes Tavares, assessora de mídias da Empório Materno. Fui jornalista, doula e educadora perinatal e agora me arrisco como escritora aqui no blog da Empório Materno, escrevendo sobre assuntos relacionados aos profissionais da assistência à saúde e bem-estar!

Muito obrigada pelo seu comentário! Responderemos o mais breve possível! :)

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s